Seguidores

quinta-feira, 19 de maio de 2011

PROFISSIONAL DE ENFERMAGEM SOFRENDO AMEAÇAS

MAIS UM PROFISSIONAL DE ENFERMAGEM SOFRENDO AMEAÇAS.

Não à criminalização no movimento sindical

Em Plenária Nacional da Fasubra Sindical realizada nos dias 13 e 14 de maio, em Brasília-DF, os delegados (as) presentes representando 35 entidades sindicais distribuídas pelo Brasil, decidiram, à unanimidade, repudiar a prática de criminalização do movimento sindical crescente em nosso país.
Vivemos num estado democrático de direito e, portanto, a prática do contraditório é educativa e contribui para o avanço e consolidação da democracia, algo que infelizmente, ficou ceifado durante o período nefasto da ditadura militar que condenou muitos militantes, dirigentes sindicais e partidários ao cárcere e a perda da maior dádiva ao ser humano, a vida.
A ameaça de morte é prova inconteste da covardia, do medo do ameaçador, mas acima de tudo, da certeza de que o ameaçado tem qualidades superiores ao ameaçador, afinal de contas, ninguém atira pedras em árvore que não dar bons frutos.
Melissa Elaine Campos dos Santos(foto), hoje você está sendo vítima da covardia e perversidade das ameaças, ontem, muitas outras pessoas lutadores como você, não somente sofreram ameaças, mas foram eliminadas cruelmente para que hoje tivéssemos a garantia de diretos básicos legais como o de falar e expressar publicamente nossas opiniões mas, infelizmente, você não será a última vítima desse trauma psicológico que só sabe seus reflexos quem teve o desprazer de vivenciar esse momento.
Aqui não queremos te aconselhar a desistir ou continuar na vanguarda do movimento sindical, afinal o mineiro e cronista brasileiro Carlos Drummond de Andrade falava que “fácil é analisar a situação alheia e poder aconselhar sobre esta situação. Difícil é vivenciar esta situação e saber o que fazer ou ter coragem pra fazer”, mas, temos plena convicção que a renúncia da companheira Melissa do movimento sindical e partidário, certamente representará a nossa derrota, a derrota daqueles (as) que seguem acreditando, conforme Lénin, que somente “a luta decidirá até onde poderemos avançar, que parcela da tarefa infinitamente elevada poderemos cumprir, que parcela de nossas vitórias poderemos consolidar, como nossas, em caráter definitivo".
Nesse contexto, a Plenária Nacional da Fasubra Sindical repudia veementemente qualquer tipo de criminalização e tentativa de calar nossos (as) lutadores (as) pela força ou por pressões psicológicas, por outro lado e com a mesma intensidade, subscrevemos nosso apoio e solidariedade à companheira Melissa, do Sintunifesp e a todos (as) aqueles (as) lutadores (as) que tremem de indignação diante das injustiças praticadas no mundo.


obs: Melissa é Técnica de enfermagem e Coordenadora geral do SintunifeSP.

Confira a matéria na íntegra:
http://www.sintestrn.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=1713:nao-a-criminaliacao-no-movimento-sindical&catid=34:eventos&Itemid=58
Escrito por Sandro Pimentel, dirigente da Fasubra e Sintest/RN   
Seg, 16 de Maio de 2011 17:03

4 comentários:

  1. É lamentável que o tempo passa, muda-se até alguns/algumas atores/atrizes no cenário, mas a prática do "Cale a boca" continua tão presente, conhecemos bem de perto esse tipo de atitude aqui no RN, e olhe que é proveniente de pessoas que tanto pregam democracia, controle social, inserção política, não ao Ato Médico,...Somos também solidário a nossa colega de trabalho Melissa, por sua participação efetiva no movimento sindical em prol da classe trabalhadora, por ser Técnica de Enfermagem, uma profissão que traz consigo até hoje, cicatrizes, feridas, sequelas, e práticas típicas da ditadura,...Nós que militamos em prol da classe trabalhora que recebe um salário irrisório, trabalha em ambientes prá lá de hostil, sofre pressões psicológicas de todos os tipos e atores, tem o seu labor hiperdesvalorizado,... Não pleiteamos por nada alheio e sim por nossos direitos que são negados, todavia que partimos para conquistar o que é nosso de fato e de direito contrariamos alguém, e querem dizer que estamos cometendo crime. Não podemos calar diante dessas atitudes, tão querendo levar todos os nossos direitos, e até a nossa voz? Como dantes já afirmamos ESTAMOS DE VOLTA À SENZALA. Auxiliares e Técnicos de Enfermagem ergam as suas bandeiras "JUNTOS SOMOS, E MUITOS PODEMOS" não há seguimento na saúde que funcione sem a nossa força, trabalhadores(as) nós é que enriquecemos a Nação e alguns. Não desanime! Lutem!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem toda razão companheiro!!!

      Excluir
  2. É isso aí precisamos de pessoas como nós na luta, a esperança nunca morre. Firme e forte sempre, mesmo estando na pior posição. não desista

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir